[Teorias E Explicações] A Primeira Raça Ancestral

Moon

A Primeira Raça Ancestral, normalmente abreviada para “FAR”(First Ancestral Race), são os prototípicos progenitores do mito de Evangelion: uma espécie humanoide extra-terrestre com recursos tecnológicos hiper-avançados, responsáveis pela criação das Semente da Vida, suas Luas, as Lanças de Longinus, os Manuscritos do Mar Morto, e, indiretamente, os anjos e a nós.

Texto traduzido do inglês, editado e adaptado do Wiki.Evageeks

Arquivo

A Primeira Raça Ancestral eram habitantes de um mundo desconhecido dentro da Via Láctea há mais de 4,6 bilhões de anos atrás, e são descritos como a primeira inteligência extraterrestre. Quando se tornou claro que o seu mundo enfrentaria a destruição iminente, eles renunciaram às suas formas físicas da extinção, mas tomaram medidas para garantir que os seres semelhantes poderiam viver em outro lugar. Sete seres progenitores chamados de Semente da Vida foram criados, cada um investido com a alma de um indivíduo FAR e colocado dentro de uma “arca” de transporte (Lua), juntamente com uma Lança de Longinus. Os diversos segmentos da população que compõem a Primeira Raça Ancestral foram então unidos como um só e embarcaram em sete transportadores – presumivelmente o que significa que eles foram reduzidos para as almas e distribuídos entre as sete Câmaras de Guf da Semente para aguardar o renascimento em um outro mundo. Isto significa que os filhos de Adão e o primeiro Lilin, são reencarnações dos membros da Primeira Raça Ancestral.

Os artefatos conhecidos como a Lança de Longinus, ferramentas de penetração incrivelmente poderosas em um Campo- AT, foram colocados dentro de cada Lua para controlar a Semente em caso de quaisquer exigências, como por exemplo se duas sementes passarem a ocupar o mesmo planeta.

A Primeira Raça Ancestral são os autores dos “Manuscritos do Mar Morto”: a informação foi incluída na “arca” da Lua Branca ou Negra como uma salvaguarda, junto com as Lanças de Longinus. O que ficou conhecido como o “Pergaminhos do Mar Morto” foi essencialmente um manual da Primeira Raça Ancestral enviada junto com cada Semente da Vida, detalhando como as Sementes da Vida e as Lanças de Longinus trabalham, bem como previsões sobre o futuro no caso de um Semente for despertada. Embora os pergaminhos foram presumivelmente criados em caso da Semente de Adão for despertada e uma Lança de Longinus não estar disponível (ou outras circunstâncias imprevistas surgirem), a organização Seele, eventual possuidor dos pergaminhos, usou o conhecimento contido dentro para promover sua próprio cronograma.

Assim a Primeira Raça Ancestral são os criadores principais dos seres humanos, bem como os dos Anjos, eles poderiam ser considerados “Deuses” do ponto de vista de ambos.

História Conceitual

A Primeira Raça Ancestral nunca foi mencionada diretamente dentro da série em si, embora o conceito de raça progenitora esteve presente desde o início. Duas (primeira e segunda raças ancestrais) foram consideradas em uma reunião inicial de planejamento e posteriormente incluídas no Neon Genesis Evangelion Proposal (documento criado em 1993 com um propósito promocional, era essencialmente o protótipo da série), produzidos dois anos antes da série ir ao ar. A Raça também quase recebeu uma menção, registrada um pouco como “Primeira Raça Nativa”, no episódio 20. A indicação final estabelecida ficaria restrita principalmente para Episódio 21, mas elas geralmente não iriam ser recebidas pelos fãs. Não iriam até o lançamento do jogo Neon Genesis Evangelion 2 para PS2 (seguido por uma versão expandida para PSP, com o subtítulo Another Cases), cuja produção foi fortemente feita por entrevistas com Anno e outros funcionários, que a Primeira Raça Ancestral foi “restaurada” com o mito. As informações sobre eles vem quase exclusivamente de seus arquivos do Classified Information” e do “bom” Kaworu no encerramento da versão de PSP.

Notas

A Primeira Raça Ancestral é tematicamente semelhante aos aliens “primogênitos” de 2001: Uma Odisséia no Espaço, a raça alienígena que criou os Monolitos. Enquanto o primogênito não tinha subsídeos de criar vida, eles foram a primeira raça, na galáxia, à alcançar sensibilidade, e iam em suas viagens através do espaço criando experimentos para tentar incentivar o desenvolvimento da sensibilidade em planetas onde eles encontraram vida.