Sadamoto Days – Entrevista com Yoshiyuki Sadamoto – Parte 2

Sadamoto-Days-parte-2.jpg

[Português Brasileiro / Brazilian Portuguese]
Nos dias 5, 6 e 7 de Julho, o mangaká e o responsável pelo design de personagens de Evangelion, Yoshiyuki Sadamoto, foi o convidado ilustre do “Festival do Mangá de Milão”, os dias de sua participação foram chamados de “Sadamoto Days”. Lá ele deu uma série de autógrafos e concedeu entrevistas aos fãs. O pessoal do blog italiano e parceiro do EvangelionBR, Dummy-System, teve uma equipe presente no evento e conseguiu redigir as respostas que ele concedeu aos fãs e também tiveram uma entrevista com ele.
Essa é a segunda e última parte da entrevista, caso queira ler a primeira parte clique aqui!

 


rotonda_mmf

Pergunta dos Fãs – Parte 2

Você tinha restrições ao escrever o mangá?
Não, eu trabalhava com autonomia total. Não me lembro de nenhuma vez que consultei alguém a respeito.

sadamoto-1-1589_0x440[1]De onde vem sua paixão por carros, especialmente pela Alfa Romeo?
Eu não sou exceção; eu, meu pai e meu irmão mais velho adoramos carros. Quando éramos crianças, meu irmão e eu sentávamos na beira da estrada para ver os carros passarem, fazíamos uma competição para ver quem podia adivinhar a marca. Nós nos divertimos muito também.

Quais são as máquinas de seus sonhos?
Eu acho que o DeLorean de “De Volta para o Futuro”. Com o primeiro dinheiro que ganhei com este trabalho eu comprei um Fiat Panda, mas assim que eu peguei da concessionária, na volta para casa, ele quebrou. No entanto, o Panda estará sempre em meu coração (risos). Quando criança, eu adorava a série sobre super carro “Circuito no Ookami”, onde o protagonista estava rodando em um Lotus Europa. Na escola primária eu sempre sonhei com ele, então eu finalmente comprei. É realmente um carro quase de colecionadores, que muitas vezes quebra.

Em suas obras, muitas vezes, se vê referências à Itália, de onde vem essa paixão?
Quando criança, eu gostava muito de filmes ambientados na Itália ou italianos, por exemplo, “Lupin III: O Castelo de Cagliostro”, de Miyazaki, ou “The Italian Job”. Ver aquele  “mini cooper” pelas ruas me deixava louco, eu pensei “Eu quero ir para a Itália!”

Quem decidiu representar Rei como albina?
Inicialmente Rei era uma morena de olhos escuros, mas precisaríamos  identificá-la nosadamoto-2-78069_0x440[1] anime imediatamente, para não confundi-lá com Asuka. Isso dependeu apenas da escolha das cores.

Como foi trabalhar no design dos Anjos?
Eu não fui particularmente inspirado por algo, recebi orientações. Mas eu gosto de fazer desenhos complexos, eu realmente gostei muito de desenhá-los.

O que você pode nos dizer os dois últimos episódios de Evangelion?
Eu não posso dizer nada, porque eles são totalmente uma obra de Anno, que estava passando por um período muito ruim. Quando eu o conheci, ele sempre me disse: “Eu sou doente, eu quero acabar com isso.”

Qual foi sua reação no momento que Anno pensava em retomar com o novo filme de Evangelion? Você ainda estava trabalhando no mangá, não se sentiu um pouco “perseguido”?
Na verdade, eu tive que trabalhar em dobro e eu nem sempre fui capaz de atender as liberações mensais do mangá. Eu estava sendo empurrado pelo diretor, “acabe com  este mangá!”. Mas também queria parar para ajudá-lo. Eu lhe disse: “a culpa é sua se eu não conseguir terminá-lo, porque você quer um trabalho no cinema também, mas eu tenho apenas duas mãos!” … ok, na verdade eu nunca disse isso a ele, mesmo que eu querendo.

Der-Mond-Yoshiyuki-Sadamoto-021.jpgHouve um tempo, depois de todos esses anos, em que você pensou que já tinha desenhado o suficiente em Evangelion?
Para não chegar a esse ponto, eu tive “quebras” e me dediquei a outros postos de trabalho, para evitar acabar inspiração, paciência e paixão. Nós trabalhamos para que isso não aconteça.

Como foi para você desenhar a personagem  Mari integrando esteticamente em Evangelion?
Por um lado, nós queríamos criar um personagem diferente, o que poderia atrair um novo público e que marcaria como um ponto de ruptura na história. Há um “mercado” na trama e eu tinha que mantê-lo lá. No filme, há um grande mistério em torno de sua presença, razão pela qual ela só se encontra lá. Eu não poderia usá-la no mangá, embora eu teria gostado.

9471350023_009a383862_oVocê pode nos dizer algo de Nadia?
“Nadia” foi um trabalho muito importante para mim, porque foi o primeiro que fiz para a NHK, e que me permitiu chegar ao público em geral. Ele foi um desafio para mim, uma coisa nova, que, portanto, sou muito apegado.

Você pode nos dizer algo sobre o personagem do Capitão Nemo? O que inspirou em criá-lo?
Primeiro de tudo, nós fomos inspirados pelos romances de Júlio Verne, em especial o “20,000 Léguas Submarinas”, em seguida, a partir da ideia de um homem indiano. Para alcançar “Nádia”, porém, eu estou muito inspirado também nas roupas do antigo Egito, para dar um toque de África das “Mil e Uma Noites”. Outra fonte de inspiração para o personagem, eu diria que era o comandante Ukita de “Space Battleship Yamato”.

Em Wolf’s Children a temática é um retorno à natureza, a mensagem parece ser “no local em que você vive bem, você está feliz.” Na sua opinião, é realmente assim?
Eu nunca pensei que esse era o conceito central em Wolf’s Children. Quem vive bem na cidade deveria estar lá, e o mesmo vale para aqueles que vivem bem no campo. Nasci em uma pequena cidade montanhosa, então me mudou para Tóquio e agora eu voltei para o campo,  era bom em todos os três locais.

Os mangás de hoje são todos muito semelhantes. O que é necessário para mudar este mundo, como fez Evangelion?
Na verdade, eu acho que não nada realmente mudou com Evangelion. Deve ser dito que todos os anos saem, no Japão, muitas obras maravilhosas que talvez você não veja. A propósito uma novidade: Anno viu Madoka Magica e  gostou, ele disse que é bom e interessante.

Qual a mensagem que você queria transmitir com Evangelion?
A importância do compromisso para chegar a atingir seus objetivos.


Entrevista

sadamoto1.jpgSabemos que Evangelion nasceu a partir de uma sessão de “brainstorming”, mas como ele surgiu?
A história e os personagens foram retirados de todos os funcionários, mas meus sentidos especificamente ficaram preocupados, por exemplo, com o caráter dos personagens, ou como seria a voz. O design é especialmente meu. No início, nós fomos influenciados por Sailor Moon e a ideia  era de um elenco completamente feminino, meu conselho foi colocar personagens masculinos. Shinji, por exemplo, era uma mulher, eu sugeri que fosse um homem. Com um elenco feminino, história teria sido completamente diferente. Minha outra ideia foi a de  pilotar os robôs com crianças de 14 anos. Se os personagens fossem adultos seria melhor, daria ideia de perito militar, mas eu queria que no robô existisse algo como um espírito maternal e haveria uma sincronização entre o robô e o espírito.

Evangelion tem uma história muito dramática e complicada, é difícil imaginá-la como um fenômeno comercial. Houve um tempo em que, trabalhando, a equipe percebeu que vocês tinham em suas mãos um sucesso em potencial?
Na verdade, essa história, de modo complexo, não é comercial,  mas eu gosto da ideia de trabalhar em algo que não é. Inicialmente, a série foi dirigida ao público otaku que já amava o gênero robótico, mas entendemos que isso não era o início de uma série comercial. Quando a transmissão da série acabou, essa popularidade explodiu, nenhum de nós esperávamos. Ficamos realmente surpresos

Agora que o mangá acabou, tem outros planos em mente? Há uma possibilidade de que você também trabalhar em um mangá do Rebuild of Evangelion?
O mangá terminou e é difícil trazê-lo de volta, porque há tantas outras coisas que eu gostaria de fazer. Por outro lado, já existem  projetos de animação, incluindo o mais recente filme de Evangelion, que eu estou participando , agora com maior intensidade porque eu estou livre do mangá.

Em uma entrevista, você disse que o anime Evangelion é um pouco o “documento de identidade” do diretor Anno. Como foi para você trabalhar todo esse tempo em algo que alguém considera “o documento de identidade”?
Na verdade, o próprio nascimento de Evangelion é “um pouco” complexo no sentido de que eu escrevi o mangá, mas ao mesmo tempo também começou a série,  as duas coisas foram acontecendo em paralelo. Neste sentido, certamente, o mangá é o meu trabalho, a minha ópera, mas em alguns lugares as duas versões se sobrepõem.

9474100226_c7b1a5bcb1_oVocê poderia nos contar quando nasceu o estúdio Gainax?
Eu tinha 23 anos, mesma idade de Tsurumaki, enquanto que Anno tinha 25. Nós éramos jovens, cheios de paixão e um forte desejo de criar obras de animação. Era como “Wings of Honneamise”, que fala de três filhos inexperientes que tentam ir para o espaço com um foguete construído por eles, isso reflete um pouco a nossa história. Devemos também agradecer a Hayao Miyazaki, que nos ajudou muito no início. Tivemos tanto coisas positivas como negativas, mas era principalmente um teste da força da juventude.

Qual é o significado da palavra “Gainax”?
Vem do dialeto de uma pequena aldeia chamada Yonago, da prefeitura de Tottori. Existe a palavra “Gaina” significa “forte”. O “X” veio devido ao fato de que muitas empresas bem-sucedidas, na época, tinha um “X” no nome, então Anno propôs adicioná-lo também. Eu sinto que, neste momento, a Gainax é um pouco fragmentada, isso porque Anno  fundou o estúdio Khara, no qual eu participo.

Asuka e seu relacionamento com Shinji têm um papel central na série, enquanto que na manga essa relação é um pouco menor, com mais enfoque na relação de Shinji e Rei. O que provoca essa diferença?
Anno e eu temos um ponto de vista diferente sobre o assunto. O mangá é menos9474152492_f00df8a2c6_o espetacular do que o anime, há menos ação, por isso preferiu centrar-se imediatamente sobre a relação entre Shinji e sua mãe, que é o núcleo do meu trabalho. O anime em vez disso, apenas porque é mais espetacular, tem outro ponto de vista. É claro que a relação entre mim e minha mãe é diferente. Um mangá que muito me influenciou foi Hyouryuu Kyoushitsu, Kazuo Umezuo, que falam sobre a relação entre mãe e filho. Qualquer mãe do mundo quer o melhor para seu filho, e meu mangá é sobre isso.

Agora que o mangá terminou está se sentindo mais aliviado e satisfeito ou triste e melancólico?
Na verdade, agora eu estou trabalhando com o novo filme e também  no último tankobon que ainda não saiu, por isso, do meu ponto de vista Evangelion ainda não está terminado. Eu posso dizer que, sem prazos sinto-me muito mais calmo.

***

Entrevista: Dummy System
Tradução e Adaptação do Italiano: EvangelionBR
Imagens: Internet
____
Eu sinceramente prefiro a abordagem do Sadamoto do que do Anno, as coisas são muito mais bem explicadas com ele. Pela entrevista parece que há projetos de animação além do último filme do Rebuild of Evangelion. Pra mim que adoro a serie e os personagens, quanto mais coisa de Evangelion sair… melhor! mesmo sendo spinoff ^^

Banner 15
  • Franco_Kurosaki

    Muito boa a entrevista.Putz quer dizer que Eva só teria garotas no elenco?Como seria isso?Anno assistiu Madoka Magica e gostou!Legal a orugem do nome Gainax e do filme que nunca consegui encontrar Wings of Honeamise.
    Ansioso pelo vol 14.Vem logo!

  • Franco_Kurosaki

    Muito boa a entrevista.Putz quer dizer que Eva só teria garotas no elenco?Como seria isso?Anno assistiu Madoka Magica e gostou!Legal a orugem do nome Gainax e do filme que nunca consegui encontrar Wings of Honeamise.
    Ansioso pelo vol 14.Vem logo!

  • Eu já gostei muito mais do mangá do que do anime, mas hoje em dia eu gosto de ambos igualmente. Cada um é melhor em um ponto, em um determinado plot. Sobre animações de EVA, cada vez é mais claro que a coisa não vai terminar nos filmes… Torço por isso! EVA pode realmente virar uma trama maior do que já é. E por último, que legal o Anno gostar de Madoka Magica! Esse anime é realmente incrível!

  • Rodrigo

    ^_^ Interessante demais a entrevista… Mas inspirados em Sailor Moon o.O! rsrsrsr
    Anno gostou de Madoka… Imagine ele trabalhando com Gen Urobuchi!!! Iriamos ter o anime mais complexo já criado!!

    valeu pela tradução e pelo esforço!!

  • Rodrigo

    ^_^ Interessante demais a entrevista… Mas inspirados em Sailor Moon o.O! rsrsrsr
    Anno gostou de Madoka… Imagine ele trabalhando com Gen Urobuchi!!! Iriamos ter o anime mais complexo já criado!!

    valeu pela tradução e pelo esforço!!

  • João Ferreira

    Parabéns pela tradução/publicação da entrevista com o Sada. É sempre bom saber o que os realizadores pensam sobre suas próprias obras, mesmo que o Sadamoto não seja “O” realizador de Neon Genesis Evangelion.

  • João Ferreira

    Parabéns pela tradução/publicação da entrevista com o Sada. É sempre bom saber o que os realizadores pensam sobre suas próprias obras, mesmo que o Sadamoto não seja “O” realizador de Neon Genesis Evangelion.

  • João Ferreira

    Engraçado é o Sadamoto falar de “prazos”… Levou quase 20 anos pra concluir um mangá relativamente curto. LOL

  • um mesmo projeto, criado por pessoas diferentes, com pensamentos diferentes, que se encaixa de maneira tão perfeita.. por isso amooooooo EVA!

  • Rennê Anderson

    Caramba, valeu por essa entrevista, gosto muito do manga acho que ele consegue desenvolver muito bem os personagens, as relações deles, mas ainda prefiro a forma do Anno, acho ele mais complexo, obscuro e frio, ele me lembra diretores como Kubrick, David Lynch e Darren Aronofsky!

  • Rennê Anderson

    Caramba, valeu por essa entrevista, gosto muito do manga acho que ele consegue desenvolver muito bem os personagens, as relações deles, mas ainda prefiro a forma do Anno, acho ele mais complexo, obscuro e frio, ele me lembra diretores como Kubrick, David Lynch e Darren Aronofsky!