A História do Estúdio Gainax: Parte 1

Há poucas histórias dentro das produções de animes que são tão empolgantes quanto a história do Studio GAINAX. Em vez da típica história de “Sr. Produtor costumava trabalhar na empresa X, mas ele queria produzir seus próprios animes, então ele começou a empresa Y”, não há nenhuma pessoa singular responsável pela formação da GAINAX. Em vez de um produtor realizado, esse era um grupo de nerds de ficção científica. Em vez das décadas de experiência que a maioria dos fundadores de estúdio tem, eles tiveram alguns curtas-metragens. E em vez de ter grandes investimentos financeiros, eles… não fizeram.

Texto original, em inglês, escrito por Callum May
e postado no Anime News Network

1978 – O nerd da ficção científica

Para Toshio Okada, ser um otaku não é apenas gostar de algo, é buscar mais conhecimento e ter a autoconsciência para descrever exatamente qual é o apelo do seu hobby. E assim, nunca foi suficiente para Okada apenas desfrutar de ficção científica. Ele precisava explorar e discutir também. Na verdade, essa foi a razão pela qual ele ingressou na Universidade de Eletrocomunicação de Osaka de início. Não para as aulas, mas para se juntar ao clube de ficção científica da universidade. Vivendo com um subsídio mensal de seus pais, ele decidiu ignorar suas aulas inteiramente, optando por gastar seu tempo mergulhando em ficção científica.

Osaka Electro-Communication University.

Quando Star Wars foi lançado em 1978 no Japão, ele foi com os membros do clube de ficção científica para sua estreia em Osaka. Ouvindo sobre os cosplayers americanos que se vestiram como Luke Skywalker, Princesa Leia e Darth Vader, eles queriam mostrar a extensão do cosplay e fandom japonês. No caso de Okada, ele foi como o personagem “Daimajin”, uma estátua gigante de pedra de um samurai, habitado por um espírito.

Mas a meca do fandom de ficção científica de Osaka foi DAICON. Como parte das convenções anuais Nihon SF Taikai, a convenção muda seu nome dependendo da localização. Então, se a convenção acontecer em Tóquio, é chamada de TOKON e, no caso de sua terceira vez em Osaka, em 1981, era conhecida como DAICON III .

 1981 – De estudantes a profissionais

Foi em um festival de ficção científica chamado Seto-Con em 1978 que Okada se encontrou com o colega otaku, Yasuhiro Takeda da Kindai University e dois anos depois, eles decidiram se unir como organizadores da convenção DAICON III. Takeda era o presidente da convenção e depois de conhecer uma equipe da Universidade de Artes de Osaka, eles começaram a produzir um filme de abertura animado para a convenção.

Os dois produtores aparecem no filme de abertura do DAICON III. Yasuhiro Takeda (à esquerda) e Toshio Okada (à direita).

A equipe em si era composta de estudantes universitários do primeiro ano, Hideaki Anno, Hiroyuki Yamaga e Takami Akai (você deve reconhecer pelo menos um desses nomes). Juntos, eles se reuniram na fábrica da família Okada, ocuparam um andar inteiro e começaram a produzir os primeiros trabalhos do recém-estabelecido DAICON FILM. Sem o orçamento para comprar células de animação adequadas, a equipe comprou uma folha de vinil e tentou usá-la em animação.

Não foi muito bem sucedido. A tinta arrancou e colou nos outros discos de vinil quando eles estavam empilhados. “Mas, novamente, não foi como se tivéssemos outras opções”, observa Takeda. Nunca tendo trabalhado em uma animação de célula, o processo foi uma experiência de aprendizado para toda a equipe. Eles também não planejaram nada de antemão (isso acabou sendo um problema maior nos anos vindouros) e não havia papéis definitivos reais. A equipe apenas trabalhou em tudo juntos. Mas depois de onze meses de trabalho duro, até a manhã da convenção DAICON III, sua primeira animação estava completa.

Mas a equipe de animação não estava pronta ainda. Depois de experimentar a emoção de trabalhar juntos em um anime, eles estabeleceram adequadamente o estúdio independente, DAICON Film, enquanto os organizadores da convenção DAICON III imediatamente solicitaram a realização de outra convenção em Osaka em apenas dois anos. E graças aos criadores do Macross no Studio Nue, eles não precisaram esperar até 1983 para começar a animar novamente.

Super Dimension Fortress Macross (1982)

Depois de ver seu trabalho no DAICON III, o trio de animadores (Anno, Yamaga e Akai) foi convidado a participar da Super Dimension Fortress Macross. A equipe viajou para Tóquio, onde foram colocados para trabalhar na Artland, cooperando na produção com o estúdio Nue. Por causa das habilidades especializadas que eles exibiram trabalhando no DAICON III, o grupo foi dividido em diferentes partes da equipe de produção.

Hideaki Anno trabalhou com os mecha animadores, Takami Akai trabalhou com a equipe de animação de personagens e Hiroyuki Yamaga trabalhou com o próprio diretor, eventualmente sendo convidado para dirigir o nono episódio da série. Isso se tornou uma experiência de aprendizado para a equipe DAICON. Exceto Akai. Devido à técnica avançada do diretor de animação de personagens, ele se viu incapaz de participar e voltou para Osaka para continuar o trabalho na DAICON Film.

 O Studio Nue e o DAICON Film tinham muito em comum na época. Como o DAICON, o Studio Nue também foi o resultado de um grupo de fãs de ficção científica que criaram animações. E, como tal, eles procuraram mais membros de fã-clubes de faculdades de ficção científica, três dos quais eram velhos amigos do ensino médio de Akai. Takeda relembra desta vez como a primeira formação da GAINAX. Muitas das conexões reacenderam enquanto trabalhava em Macross que se tornou os blocos de construção para o próximo estúdio de anime.

Uma propagandada General Products na Worldcon 1984, na Califórnia.

Enquanto isso, em Osaka, Okada e Takeda estavam trabalhando em um novo empreendimento comercial, uma loja chamada General Products. Eles não eram apenas fãs de anime, afinal de contas. Inicialmente, era ideia de Okada, mas como Takeda não estava ocupado, ele foi arrastado por ele. A ideia era que eles criassem uma loja de passatempos de ficção científica que não apenas vendesse mercadorias, mas também as licenciasse e as criassem.

Seu foco era fazer acordos de licenciamento com grandes empresas e desenvolver garage kits, prevendo o sucesso e o crescimento do hobby na próxima década. Tudo isso foi mencionado em Otaku no Video, um OVA semi-autobiográfico produzido no Studio GAINAX com o roteiro escrito pelo próprio Okada. Após a abertura, a loja foi recebida com uma linha de 200 fãs animados e eles esgotaram o estoque no primeiro dia. Os lançamentos da General Products foram considerados produtos premium e exclusivos; eles até produziram mercadorias para os lançamentos da DAICON Film.

1983 – Mudando de DAICON

A produção do filme de abertura do DAICON IV teve início em abril de 1983. Tendo criado um tokusatsu durante 1982 após a abertura da General Products, este foi o primeiro filme de animação que o estúdio criou desde a abertura do DAICON III em 1981. No entanto, agora com a experiência de trabalhar em Macross, eles estavam preparados para ir além de seus desenhos animados anteriores. Na verdade, a equipe da Macross queria que a equipe da DAICON Film ficasse e trabalhasse em mais episódios, mas eles insistiram que precisavam retornar a Osaka para trabalhar no DAICON IV.

Com a animação de abertura do DAICON III sendo uma parte tão icônica da convenção, os participantes já tinham grandes expectativas para o filme que introduziria o DAICON IV. As vendas de cópia em vídeo do DAICON III também foram consideradas a razão pela qual a convenção escapou da falência. Desta vez, a equipe teve experiência em produção e trabalhou como um estúdio de animação adequado.

Eles alugaram um andar de um prédio antigo e começaram a trabalhar. Yasuhiro Takeda descreve as condições como uma sweatshop, uma descrição apropriada para um prédio sem ar condicionado sendo alugado durante o verão (estando perto do equador, os verões japoneses podem ficar incrivelmente úmidos). Além do mais, o prédio que eles estavam alugando estava trancado todas as noites das 21h às 9h. E assim, a maioria dos funcionários costumava ficar trancada no estúdio durante a noite.

DAICON IV Opening Film

Mas graças à nova experiência da equipe principal na produção de animação e à ajuda de vários criadores com quem colaboraram em Macross, o DAICON IV não foi apenas um produto melhor do que o anterior, mas também foi produzido em menos tempo. Apesar de não terem conseguido criar a ideia original da sua história, optaram por algo cheio de ação e emocionante. Com momentos mais impressionantes de animação, melhor direção e mais uso de personagens com direitos autorais (o que tornou muito difícil lançar mais tarde), DAICON IV tornou-se instantaneamente um dos filmes de animação icônicos dos anos 80.

Mas qual foi o próximo lançamento do DAICON Film? Hideaki Anno já havia se mudado para Tóquio neste ponto, depois de ter sido expulso por não pagar suas mensalidades (não que ele frequentasse as aulas de qualquer maneira) e grande parte do restante da equipe já havia desistido a essa altura. Sem novos projetos de animação à vista, a DAICON Film enterrou-se em novas produções de tokusatsu, enquanto Okada e Takeda continuaram a trabalhar na General Products, acabando por separar-se da empresa familiar de Okada para se tornarem independentes.

Nausicaä of the Valley of the Wind (1984)

Enquanto isso, a 500 km de distância, em Tóquio, Hideaki Anno mergulhava de cabeça na indústria do anime. Mais especificamente: Ghibli. Sendo contratado pelo próprio Hayao Miyazaki, Anno recebeu o papel de principal animador de seu filme, Nausicaä do Vale do Vento. Passando noites no estúdio, ele trabalhou no clímax do filme, criando as cenas que caracterizam o God Warrior enquanto ele transborda e goteja. Durante a produção, Miyazaki deu a Anno seu ciclomotor para poder viajar por Tóquio e sua amizade se tornou a base para colaborações até mesmo em 2017. Mas Anno não estava lá apenas para trabalhar em Ghibli e logo foi convidado para trabalhar em Macross SDF: Do You Remember Love?, a versão teatral da série de TV que Anno teve seu início na indústria de anime.

De volta a Osaka, Okada e Yamaga estavam trabalhando em um novo plano. Eles ainda estavam ligados à ideia original que desenvolveram para DAICON IV e decidiram que queriam ver isso como um OVA . Eles mantiveram isso para si por um tempo, mas no final de 1984, eles decidiram que queriam criar uma boa produtora de animação em Tóquio. Usando fundos de sua loja General Products como um investimento inicial, eles formaram uma empresa e convidaram um produtor anterior da Tezuka Productions que eles conheciam do fandom de ficção científica para ajudá-los a administrá-lo profissionalmente. E assim, com planos para um novo anime, o Studio GAINAX foi formado em 24 de dezembro de 1984.

[Fique ligado na Parte 2, onde o GAINAX inicia seu primeiro anime, descobre o que significa ter um desastre de produção e se desentende com seu presidente.]

***

Fonte/Source (original article, in english): Anime News Network