Os Anjos – Parte 3: Os Guerreiros

Se é verdade que a razão de ser dos Anjos é mover-se do ponto A para o ponto B, pisando em tantos centros habitados o quanto for possível ao longo do caminho, é igualmente verdade que alguns, mais do que outros, foram feitos para combate real: é o instinto de conservação que assume sua conotação mais agressiva, ataque antes de ser atacado.

Parte 1: Visão Geral
Parte 2: Os Desiludidos

Fuyutsuki os chama de ” tipo de rejeição ” (quando Zeruel chega em 2.0) e, embora não possamos saber a que exatamente ele está se referimos e quais recursos os configuram como tais, pegamos emprestado a definição para falar sobre todos aqueles que deram mais do que um pouco de problema para a Nerv e os Evas.

Texto traduzido e adaptado dos
amigos do Dummy System

O Terceiro Anjo (ROE)

Nome desconhecido. Aparece em: 2.0 You Can (Not) Advance; derrotado pela Unidade 05 conduzido por Mari Makinami; nenhuma estratégia empregada.

Uma cobra esquelética com a cabeça semelhante a de um pássaro, o núcleo colocado dentro da boca, quatro patas e quatro asas ridiculamente pequenas. O terceiro anjo que aparece no início de 2.0 é o primeiro anjo original criado especificamente para Rebuild.

Ela/Ele foi descoberto em um estado ainda inativo no subsolo do Polo Norte, semelhante ao oitavo Anjo da série original, com a diferença substancial de que o do Rebuild despertou na hora que lhe foi permitido para que a Nerv o aproveitasse. Fechado dentro da base de Betânia, uma estrutura criada especificamente para sua contenção, foi objeto de intensos experimentos e estudos que – Kaji explica em seu inglês mancando – o deixaram apenas com seus ossos intactos. Estamos no campo da especulação, mas em sua forma original poderia ter se assemelhado a um dragão ou a um grande lagarto. Seu despertar e libertação foram facilitados (se não induzidos) por Ryoji Kaji, por ordem do comandante Ikari, a fim de criar as condições para a destruição do Eva 05, a unidade encarregada da defesa da base e da base em si.

É capaz de voar e se mover com uma certa velocidade, apesar de sua aparência pode provocar explosões e gerar uma espécie de “halo” que pode cortar qualquer coisa. Derrotado pelo 05 dirigido por Mari Makinami, ele salta no ar trazendo consigo, como planejado, o Eva e a base de Betânia.

Embora não tenha nome oficial, o fandom americano renomeou-o Tunniel, porque a maior parte da batalha entre o Anjo e o 05 ocorre nos túneis subterrâneos da base de Betânia, ou Boneliel/Boniel , por causa dos ossos (= em ossos ingleses).

Ramiel

Quinto anjo. Aparece em: episódios 5 e 6; derrubado pela unidade 01 conduzido por Shinji Ikari como resultado da operação de Yashima; Estratégia de Misato Katsuragi.

Ramiel é um dos Anjos mais fortes e mais perigosos que já conhecemos e é interessante notar que sua vinda ocorre cedo na série: mostra que entre os “mensageiros” não há hierarquia de nenhum tipo. É também o primeiro Anjo que encontramos, cuja forma não se encontra com nada parecido na natureza, nada das características que estamos acostumados a atribuir à vida neste planeta.

Um gigantesco octaedro azul sólido geometricamente perfeito flutuante introduz o conceito cada vez mais emergente na série (e então descaradamente negada) de que os Anjos são algo que não pertence a este mundo, alienígenas no sentido estrito do termo, diferente de todos os outros. O que sabemos – incompreensível e, portanto, ainda mais assustador.

Peculiar também é sua técnica ofensiva, o que prejudica a própria utilidade dos Evangelions, concebidos tendo em mente a única possibilidade de combate corpo-a-corpo: desprovido de pontos fracos visíveis e protegido por um campo de AT impossível de penetrar pelas mãos nuas ou com armas convencionais, o Quinto Anjo realiza ataques à distância usando um canhão de aceleração de partículas. Isto, combinado com uma impressionante velocidade de reação, precisão absoluta em atingir alvos e uma “sensação de perigo” dentro de um alcance em constante expansão (durante a operação Yashima era capaz de prever o ataque de 01 apesar de estar em um distância que poucas horas antes fora calculada fora de alcance) faz, citando Misato, uma fortaleza voadora impenetrável. Para chegar ao Therminal Dogma, ele também usa uma espécie de broca com um diâmetro de 17,5 metros que se eleva a partir de sua extremidade inferior; foi capaz de perfurar as 22 placas blindadas que separam o Geofront do Neo Tokyo 3 em 10 horas.

Para derrotar seu Campo AT e aniquilá-lo, foi necessário acertá-lo com um rifle de pósitron que usa a eletricidade de todo o Japão, ao mesmo tempo em que resiste ao seu contra-ataque, ao custo de sacrificar a unidade 00.

No ponto em que é atingido e perfurado, a superfície do anjo assume a aparência de metal fundido. A operação de desmantelar seus restos mortais durou várias semanas (do episódio 7 ao episódio 9), um sinal de que o cadáver não se degrada com a mesma velocidade que o do quarto Anjo (detalhe mencionado no episódio 5); durante a sua remoção é possível ver que o que resta do revestimento externo está sujo de vermelho, sugerindo que dentro do Anjo havia sangue ou algum tipo de material orgânico.

Sexto Anjo. Aparece em: 1.0 Você está (não) sozinho; a batalha segue como na série original.

As características básicas e a dinâmica de batalha de Ramiel permanecem quase as mesmas em Rebuild, apesar de algumas diferenças importantes: a principal diz respeito à forma externa do Anjo, aqui definida como “instável”, que se reconfigura – embora o octaedro continue sendo a lógica padrão própria antes de cada ataque; o núcleo, além disso, colocado no centro exato de seu corpo é visível durante as transformações (deixando claro que é de lá a reação energética que alimenta o canhão de partículas), enquanto a broca com o qual perfura as placas para proteger o Geofront não é mais um elemento que “sai” de sua extremidade inferior, mas a extremidade em si, que se estende e se envolve, assumindo a forma de um broca.

Ao contrário do que acontece na série, durante a batalha final, o Anjo não desvia do primeiro tiro disparado pelo 01: centrado (descobrimos neste momento que sangra e grita de dor), ainda consegue proteger o núcleo e regenerar-se imediatamente; como na série é abatido com o segundo tiro e morto, se transformando em uma massa de líquido vermelho como todos os Anjos em Rebuild.

Sahaquiel

Décimo Anjo. Aparece em: episódio 12; abatido pela ação combinada das Unidades 01, 02 e 00 dirigidas respectivamente por Shinji ikari, Asuka Soryu e Rei Ayanami; Estratégia de Misato Katsuragi.

Uma coisa gigantesca aparece de repente na órbita da Terra, é laranja, anormal em tamanho, mesmo para um anjo e com uma forma simétrica que lembra uma ameba ou algum outro organismo unicelular. O Décimo Anjo parece um enorme olho que espreita acima do mundo humano – a comparação com o olho de Deus é óbvia demais, então vamos compará-lo ao de Sauron.

Além do aspecto verdadeiramente singular (os desenhos em forma de olhos em sua superfície, além do subtexto religioso, são uma óbvia auto-referência aos vilões de Nadia), destaca-se pela maneira inédita de usar seu próprio Campo AT, que interfere nos sistemas de comunicação terrestre por satélite e cria um efeito de interferência que impede a Nerv de monitorar seus movimentos. Além disso, sua tática consiste em bombardear a superfície da Terra largando partes de si mesmo no chão, que ganham uma força destrutiva graças à gravidade e ao poder do Campo AT (é interessante notar que o Campo AT acompanha essas “peças”. “Mesmo depois de se separarem do corpo: e se em vez de apêndices inanimados como se fosse uma verdadeira mitose?). Tendo identificado seu objetivo graças a uma série de lances “vazios” – o que denota uma certa inteligência e a capacidade de aprender com seus erros – ele deixa todo o seu corpo cair em Neo Tokyo 3, garantindo, em caso de impacto, a destruição total da cidade, das 22 placas blindadas do Geofront e da sede da NERV.

Para evitar a catástrofe, o Eva não deve fazer nada(!) a não ser destruir o seu núcleo, localizado no centro da “pupila”, antes que o anjo toque no chão, de acordo com uma estratégia felizmente suicida criada pela recém promovida Misato. Querendo ser exigente, há uma pequena inconsistência no fato de que o campo AT do anjo é inicialmente descrito como “muito poderoso”, capaz de resistir o ataque de várias ogivas N2 sem ser arranhado, mas é facilmente cortado pelo 00 com somente uma faca progressiva.

Tudo continua como na série – mas quando o 01 pega o Anjo no ar, ele o surpreende: do seu centro surge um busto humanoide que entrelaça as mãos com as do Eva, esmagando-as, numa espécie de corpo a corpo aéreo.

O torso desta nova criatura lembra, com uma certa mudança, uma vagina, o rosto é o clássico de quase todos os Anjos de Rebuild (uma versão alongada da de Sachiel), os braços esqueléticos se enrolam em torno de si, assumindo um forma de dupla hélice que lembra a Lança de Longinus; o núcleo (que achamos ser incandescente quando o 00 agarra) é colocado em um anel que gira em torno do busto, ao longo do qual ele se move continuamente para evitar ataques inimigos. Ao longo da linha das asas, finalmente, há uma série de “espinhos”, comparáveis ​​talvez às penas, que ganham vida e assumem uma aparência vagamente humanoide quando o Anjo usa mais poder para esmagar o Eva que bloqueia sua queda.

O resultado final, além de ser um dos monstros mais complicados que já apareceram em Evangelion, é um Anjo com um marcante senso de combate que constantemente muda de forma, evolui conforme necessário: se fecha em si mesmo para se proteger de ataques aéreos quando está no espaço, abre-se para planar e corrigir a sua trajetória uma vez na estratosfera, humanóide para lutar contra o Eva em seu próprio playground, equipado com uma espécie de “thrusters” no caso de uma desaceleração. Mesmo morrendo, ele consegue causar muito mais desconforto do que sua contraparte na série, deixando três unidades seriamente danificadas e Shinji levemente ferido.

Alguns elementos do design, de Mahiro Maeda, podem ser lidos como tributos aos Anjos excluídos da Rebuild: a esfera branca e preta sugere Leliel, os olhos estavam presente no Sahaquiel original, mas também em Matarael, as “penas” na forma de pequenos homens lembra vagamente Isfarel (também desenhado por Maeda). Um detalhe interessante sobre as penas/omini é que nos desenhos preparatórios eles tinham aparência de anjos tocando trompete, mas a ideia foi arquivada porque era considerada um pouco brega demais, o simbolismo um pouco óbvio demais (as trombetas do dia de julgamento, claramente).

Bardiel

Décimo Terceiro Anjo. Aparece em: episódio 18; abatido pela unidade 01 conduzido pelo Dummy Plug; Estratégia de Gendo Ikari.

A inserção do Décimo Quarto Angjo na categoria de guerreiros é na realidade uma forçação de barra: Bardiel é um parasita, o verdadeiro guerreiro, o Anjo “repulsivo” é o Evangelion do qual toma posse. Ironia que não passa despercebida na Nerv – ou Shinji.

Contamina a Unidade 03 viajando da América para o Japão, mas ele não se manifesta até que o Eva seja ativado: é possível que, mesmo depois de ter tomado posse, ele não seja capaz de se “movimentar” sozinho, o que explicaria por que ele impede a expulsão do Plugue de Entrada e mantém o piloto vivo (manter um ser humano como refém é uma tática bem esperta porém, como poderemos descobrir dentro de meio minuto, totalmente ineficiente se Gendo Ikari for dirigir a operação).

Não sabemos qual é sua aparência original, mas uma vez infectado no 03 manifesta-se como um molde ou um líquido branco viscoso capaz, que dentre outras coisas, é capaz de passar de um corpo hospedeiro para outro (ele tenta contaminar até 00, mas sem insistir também – afinal, quem quer 00?).

A fusão com 03 não termina com o controle de Bardiel sobre a unidade, mas também permite combinar as características do próprio anjo com as do Eva: isso inclui a autonomia ilimitada garantida pelo órgão S² e habilidades físicas fora do normal, como agilidade superior, a capacidade de esticar os membros fora de proporção e fazer saltos impossíveis. No longo prazo, porém, essa relação simbiótica se mostrará uma faca de dois gumes: apesar de ter uma ideia de como exatamente seu corpo está estruturado e onde seu núcleo está, tudo indica que Bardiel morre no exato momento em que 01 destrói o 03.

Nono anjo. Aparece em: 2.0 You Can (Not) Advance ; a batalha continua como na série original.

Mais uma vez, na transição de série para filme, a aparência de um Anjo se torna mais bizarra: as características do parasita de Bardiel permanecem as mesmas em 2.0 mas desta vez ele aparece como uma espécie de geléia azul fosforescente repleta com o que parecem ser pontos de sutura (?). Além disso, as habilidades obtidas no Eva 03 acrescentam a capacidade de cultivar um novo par de braços – embora não esteja claro se a matéria-prima é colocada pelo Anjo ou se é uma capacidade latente do Eva. Finalmente, sugere-se (diz-se que “um núcleo envolve o plugue de entrada”) que todo o corpo do Anjo é seu núcleo.

Em comparação com a série, a batalha acontece sem a contribuição inútil de 00 e é o 01 que arrisca a contaminação. Mais uma vez, diante da recusa de Shinji em lutar, o Dummy Plug de Rei Ayanami é ativado e a luta termina com o 03 rasgado em pedaços pelo 01 e o Anjo derrotado.

Mas, obviamente, a diferença mais significativa diz respeito ao piloto da Unidade 03: não mais a Quarta Criança, Toji Suzuhara, mas Asuka Shikinami. Há muito tem sido especulado sobre a possibilidade de que Bardiel, na série, tenha contaminado tanto a Eva quanto seu piloto, mas o fato de Toji sair ileso da batalha psicologicamente e de que o sujeito nunca mais vai se levantar deixa a pensar que a posse do Anjo lidou exclusivamente com 03. Em 2.0 , pelo contrário, que Asuka foi “tocado” pelo Anjo é um fato; sobreviveu à batalha, Ritsuko não descarta “a possibilidade de contaminação mental” e, por isso, a Nerv a mantém em isolamento, esperando que ela se recupere. No final do filme seu destino é incerto, mas a encontramos em Q viva, leve e solta e com um olho vendado – o olho do qual parece ter “entrado” Bardiel – que se acende em azul (a cor, aliás , de Bardiel) em momentos particularmente estressantes. O nono anjo continuará a viver nela? Asuka se tornou um híbrido humano-anjo? São perguntas muito fantasiosas para as quais Q nunca deu uma resposta, vergonhoso.

Zeruel

Décimo Quarto Anjo Aparece em: episódio 19; abatido pela Unidade 01 em berserk.

Sempre indicado no material de informação oficial como o mais forte que já apareceu, Zeruel incorpora o conceito de Anjo “guerreiro” melhor que qualquer outro.

Um corpo quadrado e maciço que se move flutuando no ar, pequenos pés grossos que quase nunca são usados, lâminas muito longas, núcleo exposto (mas protegido por uma espécie de concha) no centro do tronco e um rosto que lembra o quadro “O grito” de Munch. Um dos Campos de AT mais resistentes já encontrados e a capacidade de desencadear explosões de poder sem precedentes fazem dele uma máquina de guerra imparável que não pode ser vencida com estratégias e subterfúgios, mas apenas igualando sua força bruta assustadora.

As semelhanças com o terceiro Anjo são muitas – ambas vagamente humanoides, com uma “face” e o núcleo à vista, dotado de um Campo AT distinguível a olho nu e preparado para o combate corpo a corpo, mas também capaz de conduzir ataques explosivos à distância – e tudo menos aleatório (como os episódios 1 e 19 são espelhados, nos quais os dois monstros aparecem respectivamente), um convite implícito para fazer uma comparação para entender melhor o poder do 14º: passa pelos sistemas de defesa de Neo Tokyo 3 e é atingido por uma bomba N² quase sem perceber, perfura com um único golpe 18 das 22 placas blindadas que protegem o Geofront, abate duas Unidades Eva e se aproxima do Therminal Dogma mais do que qualquer outro ser antes dele. Até parece inteligente o suficiente para entender a verdadeira natureza do Eva, tentando, quando tem a chance, eliminar o 01 destruindo seu núcleo.

Infelizmente para ele, tudo isso não o impede de enfrentar um fim horrendo quando, mutilado e derrotado, é devorado, ainda vivo, pelo Eva 01 descontrolado.

Décimo Anjo. Aparece em: 2.0 You Can (Not) Advance ; abatido da unidade 01 no modo “despertar”.

O Zeruel de Rebuild ainda é o mais forte Anjo de todos – quem afirma isso, na verdade, é Fuyutsuki, revelando – no caso de ainda haver necessidade- um conhecimento realmente suspeito dos Anjos e suas características – embora sua aparência mude significativamente em comparação com o da série. O tronco atarracado desapareceu, para dar a impressão de que agora são os braços – ainda um par de tentáculos / fitas muito afiados, mas desta vez ainda maiores – que envolvem como um casulo, um corpo (relativamente) menor e disforme que lembra o de uma água-viva; usa o Campo AT (excepcionalmente grosso, como se fosse composto de várias camadas) não apenas para bloquear os golpes, mas também para repelir e esmagar seus oponentes. Para proteger o núcleo não há mais uma concha, mas uma série de costelas que fecham sobre ele – todos esses elementos, que contribuem para dar ao Anjo um ar muito mais “biológico” em comparação com aquele senso de elasticidade irreal da série.

Aqui, também, supera com facilidade os sistemas de defesa e bombas N², depois derrota a unidade 02 no modo “Za Bisto” e resiste à explosão à queima-roupa de um míssil N² “lançado” pela unidade 00. É neste ponto que o as coisas começam a ficar estranhas.

Do que parece ser a boca do Anjo sai outra boca, composta de uma mandíbula tripartida, da qual, por sua vez, sai uma língua dentada (seriamente, Khara, que porra é essa?!) que agarra e devora um agora indefeso 00. Incorporada à unidade, Zeruel adquire características tanto do Eva quanto do seu piloto: um diagrama de onda laranja que burla o último mecanismo de defesa do Dogma (o sistema de autodestruição da Nerv entra em operação somente se ele registra o diagrama de onda azul de um Anjo) e um corpo antropomórfico (talvez para se mover melhor em um ambiente estreito como o interior da sede), com membros desproporcionais, mas claramente com atributos femininos.

Nesta nova forma o Anjo penetra na base da Nerv e choca, como esperado, com a Unidade 01. Mas desta vez não é a Eva no modo berserk, mas no modo “despertar” – isto quer dizer livre das restrições com as quais ele lutou até então, no auge de seu poder bestial, mas ainda controlado por Shinji Ikari – que, depois de literalmente o rasgar em pedaços, “quebra ele” para recuperar a essência de Rei Ayanami, aprisionado dentro de seu núcleo.

Posts Relacionados