EVA.doc | Com o fim dos Rebuilds, qual o futuro de EVA?

Em parte por causa das noções comuns de que Eva é muito menos comercialmente significativo do que realmente é, ou pela falta de compreensão da mídia japonesa e do cenário cultural, muitos fãs de língua inglesa acreditam que Anno pretende firmemente encerrar a franquia Evangelion para sempre com Evangelion: 3.0+1.0 Thrice Upon a Time, em parte por causa da percepção de “finalidade” de seu final. Na realidade, parte do propósito dos Rebuilds envolve servir de trampolim para o lançamento da franquia Evangelion como um “pilar” de animes maduros, além de lançar o Studio Khara como marca registrada da indústria de animes.


Esse é um texto escrito por Felipe Fritsch.F, traduzido
pelo EVABR com sua autorização.


Eles não tinham, no entanto, desejo de fazer uma sequência direta da série. Isso também está integrado às percepções de estagnação da indústria de anime de Anno e seu desejo declarado de revivê-la, comercialmente e artisticamente:

Especificamente, sobre o clima estagnado dos dias atuais, é o retrato da vontade – não da tecnologia – que é o mais importante. Para apoiar os fãs que apoiam a animação, sentimos que era necessário um trabalho que agradasse aos homens em idade escolar, que rapidamente se afastam do Anime. Quando decidimos que queríamos algo para apoiar o anime [indústria] de hoje, a determinação de retornar a este título era forte. Hideaki Anno: Statement about New Evangelion Movies, February 2007


Anno pretende isso desde 2000, e suas intenções no futuro incluem abrir a franquia para novos criadores. Infelizmente, uma parte significativa das fontes que lidam com essas informações só foi traduzida em 2021, e uma parte considerável permanece apenas parcialmente. O documentário da NHK de 2021 incluiu algumas falas de Anno que, fora de contexto, foram usadas para argumentar que a franquia acabou. Algumas falas foram mal traduzidas na versão legendada por fãs (e não estendida) do documentário. Há uma captura de tela amplamente divulgada de Anno sendo perguntado se ele tem algum vínculo emocional com a série, e nega. Na realidade, Anno foi perguntado se ele sentiria falta de trabalhar nisso. Embora ele tenha negado à equipe, mais tarde ele disse a Ogata durante a pós-produção que ele realmente sentiria falta.

O diretor assistente Kazuya Tsurumaki, em sua entrevista recentemente traduzida para o Evangelion 1.0 Complete Records Collection, um documento de 2007 – não o 2.0 CRC, que foi traduzido há muitos anos, trata disso com alguns detalhes. A entrevista atualmente parcialmente não traduzida (em inglês) de Anno (mas um pouco resumida aqui) também a menciona. Inicialmente, Anno considerou “Evangelion Parte 2” como uma nova adição à história, mas não conseguiu levar o projeto adiante, pois desde o início ele queria que fosse tratado por outros criadores, mas muitos de seus colegas na indústria não estavam dispostos a participar do grande empreendimento que seria a continuação de Evangelion. Ele comparou essa iniciativa a G Gundam, chamando-a de “G Evangelion” na época. No cânone de Gundam, essa é a série que encerrou o enredo “principal”, como a primeira série que não teve envolvimento direto do principal criador de Gundam, Yoshiyuki Tomino, naturalmente uma das maiores influências de Anno.

Depois de anos trabalhando em outros projetos, o projeto Rebuild começou solidamente em junho de 2005, e agora Anno havia decidido sobre o modelo atual. Inicialmente, os Rebuilds seriam principalmente uma releitura da série original, e apenas o final seria marcadamente diferente. Aliás, especulações de fandom no EvaGeeks e em outros lugares na época assumiram que os filmes seriam um remake direto de cada “arco” da série, o que parecia ser uma suposição natural após Evangelion 1.0:

Tsurumaki: Eu fui mal compreendido no início e acabei “participando” do projeto antes de entender exatamente o que estava acontecendo. Quando ouvi pela primeira vez sobre o projeto, fui chamado por Anno e pensei: “O quê, o quê?” Ele me perguntou do nada: “No que você gostaria de trabalhar depois, em GunBuster 2, Evangelion 2 ou um novo trabalho de um anime muito famoso?” Fiquei confuso, mas ao dar minhas opiniões sobre isso e aquilo, cheguei à conclusão de que “Eva 2” era o caminho a seguir. Naquela época, o novo trabalho de Anno era para ser um projeto completamente diferente de “Eva”.
Entrevistador: “Eva 2” é algo diferente do “Novo Filme” em que você está trabalhando agora?
Tsurumaki: Eu tinha assumido que o próximo anime de Anno se chamaria “Evangelion 2”. Mesmo assim, não é uma sequência pura, é algo tão diferente quanto “First Gundam, Gundam 0079” e “MOBILE SUIT GUNDAM SEED”. Em suma, o anime que Anno-san vai fazer será intitulado “Evangelion”. Por exemplo, um trabalho como “The Gutsy Frog” seria chamado de “The Gutsy Evangelion” e “Star of the Giants” seria chamado de “Baseball Evangelion”. É uma espécie de “marca”, como “VAIO” para todos os computadores Sony. Isso é o que ele quis dizer com “2”. Naquela época, falava-se que se eu não fizesse, ele passaria para outra pessoa. Aparentemente, o Sr. Anno não iria dirigir oficialmente o filme, então não havia problema em ter uma equipe completamente terceirizada.
Entrevistador: Entendo. Há algum tempo se fala de um “G Evangelion” como o “Mobile Fighter G Gundam” na série Gundam, não é?
Tsurumaki: Agora que penso nisso, já devem ter falado de uma compilação nessa altura. Mas eu apenas assumi que ele estava falando sobre “Evangelion 2” e o ouvi. Eu disse a ele: “Se você vai fazer Eva, você tem que fazer você mesmo, e se você vai fazer anime de novo, eu vou ter que te ajudar.”
Entrevistador: Então houve uma reviravolta na história, e aconteceu que o próximo projeto de Anno era um remake.
Tsurumaki: Foi assim que acabou (risos). Para ser honesto, se não fosse pelo remake de Evangelion, acho que me sentiria mais confortável participando. Essa é minha opinião honesta.
[…] Tsurumaki: Sim. Este “Novo Filme” está praticamente se tornando “Evangelion 2”. Eu não sei se Anno originalmente tinha isso em mente, ou se ele apenas caiu em si durante as reuniões de redação do roteiro. No início, era apenas uma compilação.
Entrevistador: Isso é o que todo mundo tem dito.
Tsurumaki: Faz pouco mais de uma década que o anime da TV terminou, e para novos fãs que querem assistir “Evangelion” agora, seria difícil alugar todos os 26 episódios de TV e a versão do filme em uma locadora de vídeo. Então, se você está se perguntando: “Qual é a história por trás de Evangelion?”, Se você quer saber do que se trata Evangelion, você pode alugá-lo e assistir a coisa toda em cerca de três a quatro horas em um feriado. Se é assim que “Evangelion” será desenvolvido no futuro, é melhor para os negócios. Além disso, seria relativamente fácil de fazer. Estávamos apenas dizendo: “Vamos facilitar”. No início, era apenas uma compilação.
Entrevistador: Na realidade, porém, você chegou a um lugar que está longe de ser nada fácil.
Tsurumaki: De acordo com o plano original, depois que “GunBuster2” foi finalizado no verão passado, eu completei um filme a cada seis meses, e no final deste ano (2007), a trilogia foi concluída. Era para terminar em um ano e meio. –
Tsurumaki, Eva 1.0 CRC (2007)

Tsurumaki: Quando começamos a série Rebuild of Evangelion, cerca de 10 anos se passaram desde a série de TV, e o número de fãs mudou e o número de jovens aumentou. Então decidimos fazer uma compilação que permitisse que as pessoas usassem Eva sem ter que assistir a série de TV inteira. Esse foi o ponto de partida. Começamos com a ideia de que apenas o final da série de quatro partes poderia mudar, mas basicamente 80% da série seria uma compilação, mas isso começou a mudar com “:2.0”, e “:3.0” começou com um cena 14 anos depois, que nem é retratada na série de TV…
–Então se tornou algo inesperado ao longo do caminho.
Tsurumaki: Achei que iríamos fazer algo que não colocaria Anno em um estado em que ele ficaria preso como na série de TV e na “versão cinematográfica” anterior. Eu pensei: “Nós já experimentamos os extremos desse tipo de coisa, então já estamos fartos disso”. Eu pensei: “É bom poder fazer ‘Eva’ 10 anos depois, olhando o caos do ponto de vista de um pássaro.” Ao fazer isso, resultaria em uma Eva mais “fácil de assistir”. No entanto, como se viu, fui pego no caos mais uma vez em “:3.0” (risos). –
Tsurumaki, 3.0+1.0 booklet interview (2021)


Isso também é mencionado em uma entrevista de 2006 do produtor Otsuki:

Em tal situação, entre o início do verão do próximo ano e o início do verão de 2008, vocês lançarão “Evangelion Shingekijoban”, uma reconstrução da versão da série de TV de Eva dividida em quatro partes. Mas, qual é o seu objetivo? Acho que o que muitos fãs esperam de você e do diretor Anno é um “segundo Eva” e não um “remake de Eva”.’
Otsuki: Isso é muitas vezes mal interpretado, mas é verdade que eu nunca disse a Anno-san, “vamos fazer uma sequência de Eva”, todos esses últimos doze anos. Porque, para as pessoas perversas, se você diz algo assim, de repente perde o entusiasmo (risos). No entanto, finalmente recebi as seguintes palavras de Anno-san: “Eu quero antes de tudo criar a ‘base’ para criar o ‘próximo Eva’.”
Otsuki: Certo. Se eu falar demais, será spoiler (risos). Com a situação da sociedade naquela época, os problemas internos de Anno-san, e assim por diante, e principalmente porque a versão cinematográfica terminou ruinosamente, com o mundo destruído e Shinji e Asuka os únicos sobreviventes, continuar o Eva de doze anos atrás não é possível. No entanto, com a passagem de doze anos e a virada de uma [nova] era, Anno-san resolveu as coisas dentro de si. Os novos filmes deveriam ser, em certo sentido, Eva com um final feliz, ou se eu tivesse que expressá-lo em uma única frase, uma história que levasse à esperança.
No entanto, ao ouvir isso, eu me preocupo que [Eva] se torne como Gundam no “mau sentido”, e que de agora em diante nada além de sequências de Eva serão feitas.”
Otsuki: Anno-san diz que quer fazer [Eva] Gundam no “bom senso”. Afinal, apesar do fato de que em tokusatsu existem padrões como “Kamen Rider” e “Ultraman” que se destacam acima de tudo, no mundo do anime existe apenas “Gundam”. Por isso, queremos fazer de Eva um novo padrão para o mundo dos animes com esses filmes.


Em 2016, Anno deu duas entrevistas que alcançaram o fandom de língua inglesa. Estes são um pouco conhecidos, mas carecem desse contexto adicional e foram colocados em dúvida pelo documentário da NHK, que também levou muitos fãs a acreditar que o projeto “Gundamization” de Anno era de fato uma ideia que ele havia acabado de ter na época. Isso também foi à luz do evento Khara’s Animator Expo, que contou com 20 curtas animados, incluindo três baseados no universo Evangelion, mas não canônicos, “Another Impact“, “Neon Genesis IMPACTS” e “Until You come to me“. Anno está atualmente envolvido na promoção de novos talentos e trabalhos na indústria, e a franquia Evangelion deve fazer parte disso:

Para o futuro, ele deseja que Evangelion se torne um ícone cultural, um dos pilares do anime, assim como Gundam, que se tornou uma instituição por si só. Como Gundam, onde muitos criadores podem brincar com os elementos e criar seus próprios mundos, é a esperança de Anno que Evangelion também possa ser libertado, para ser reconstruído e reinterpretado de muitas maneiras por muitos outros artistas.
[…] No entanto, ele se sente confiante quanto às perspectivas futuras. A Japan Anima(tor) Expo foi um sucesso brilhante no esforço de expandir não apenas a compreensão das pessoas sobre a animação japonesa, mas também promover o nome da Khara para o mundo junto com ele.
– Evangelion Creator Talks the Future of the Franchise

H. Anno: Senti que não podia mais fazer nada que me pertencesse na Gainax. Assim que terminei de ajudar Imaishi e os outros com o estabelecimento de projetos, senti que se eles fossem capazes de fazer o que queriam, eu realmente me tornaria um obstáculo.
Em que ponto você começou a trabalhar no Evangelion New Theatrical Versions?
H. Anno:
Antes de criar esta empresa, eu estava trabalhando em dois projetos de anime, este e outro. No entanto, para arrecadar fundos para a empresa, decidimos começar com os novos filmes de Evangelion. A princípio, a ideia era usar uma reedição da Série de TV como base, […]
É por isso que eu o chamei de Rebuild no início. Estávamos usando as fotos existentes e gravando os episódios digitalmente.
[…] H. Anno: Não, a princípio, estávamos pensando em contratar outro estúdio para fazer o show. Graças a Toshimichi Otsuki da King Records (produtor executivo da série Evangelion New Theatrical Version), visitamos vários estúdios. Ainda, como a forma de fazer Eva é muito singular, não deu muito certo. Foi quando o produtor Munetada Ogasawara (agora no Kinema Citrus) disse: “Devemos fazer isso sozinhos”. Ele imediatamente encontrou um lugar que poderíamos usar como estúdio.
Se estivermos apenas fazendo Eva, seremos rotulados como “o estúdio que faz Eva”. Mas pretendo fazer muitas coisas diferentes.

Obviamente, porque quero que sejam obras apelativas, não será sem condições específicas, mas não as limitarei ao que as minhas obras estabeleceram. Assim como Gundam, que continua apoiando o mundo da animação, Eva pode se tornar um novo pilar. Afinal, é o propósito que me levou a retomar através das Novas Versões Teatrais. Quero manter esse pilar, que carrega o mundo da animação. Quanto mais pilares houver, melhor para o meio ambiente, não é? É assim que eu vejo. Em vez da minha empresa, faço isso pelo bem-estar da indústria de animação. Gundam pode ser apreciado através de vários trabalhos, e seria bom se Eva pudesse se desenvolver da mesma forma. Acho que é melhor se houver uma diversidade nos trabalhos. —
 10 Years of Khara, interview with Hideaki Anno


Da mesma forma, 3.0 + 1.0 incluiu muitos funcionários mais novos, como animadores e artistas, e até diretores que estavam fora da antiga equipe principal da Gainax, pois Anno está procurando desenvolver novos talentos. Conforme detalhado no documentário da NHK, o próprio Anno pretendia inicialmente manter uma abordagem relativamente prática para o desenvolvimento do filme, e deixá-lo principalmente para Tsurumaki, mas ele progressivamente assumiu um papel maior.

“Bem, eu vi pela primeira vez “EVANGELION:3.0+1.0 THRICE UPON A TIME” na primeira prévia. Na exibição, eu tive a chance de conversar com Kazuya Tsurumaki, e ele e eu estávamos conversando sobre se seria melhor se a palavra “Fim da história” não tivesse sido incluída (risos). Conversamos sobre a possibilidade de ter um mundo diferente do atual, e que existem muitas outras possibilidades.” – Ogata Newtype Interview


Assim, duas novas entrevistas divulgadas pouco antes do lançamento internacional do 3.0+1.0 em agosto de 2021 surpreenderam muitos fãs, mas na verdade não trazem novas informações. Isso menciona as reflexões de Anno de retornar à franquia eventualmente, como já feito por sua iniciativa, e supervisionando Tsurumaki, no EVANGELION 3.0 (-120 min.) mangá prequel para Evangelion 3.0, lançado junto com o relançamento 3.0+1.01, ambos já sendo adições à franquia feitas após o “suposto” final definitivo. Ele também detalhou os planos não desenvolvidos para um filme definido durante o timeskip entre 2.0 e 3.0 na saudação do palco de 11 de julho. No entanto, isso pode ser tratado por outro criador, pois pelo menos por enquanto, 3.0 + 1.0 pretende ser o trabalho final de Evangelion de Anno:

“Há um intervalo de 14 anos na história, então, de alguma forma, quero esclarecer isso. […] Neste ponto, não sinto que vou continuar a história onde deixei.” – – Evangelion’ Creator Hideaki Anno Reveals ‘Evangelion 3.0+1.0’ Might Not be the End

“Não sinto necessidade de ver Shinji e os outros personagens tão cedo. Mas isso não significa que eu não queira vê-los nunca mais: pode chegar um momento em que eu os encontre novamente.” – – Evangelion’ Director Explains How He Finally Found His Ending


Aliás, Mamoru Oshii, outro famoso diretor de anime, expressou sua opinião de que Hideaki Anno é mais um produtor do que um diretor nos dias de hoje. Em uma entrevista posterior com o comediante Hitoshi Matsumoto, o próprio Anno mais tarde ecoou isso, dizendo que, como diretor, ele poderia se dar ao luxo de ser criança, mas não depois de começar a produzir. Da mesma forma, Anno é agora considerado o sucessor de Hayao Miyazaki (da Ghibli) e uma das principais figuras da indústria de anime, e tem sido assim há anos, outro fato amplamente desconhecido para os fãs ocidentais. É também por causa disso que os fãs japoneses esperam mais conteúdo de Evangelion no futuro. Além disso, o próprio Tomino também voltou a trabalhar na franquia Gundam não muitos anos depois. Observe também a insistência contínua da Khara em controlar rigidamente a localização em inglês de Evangelion desde o re-dub do Eva 3.0, lançado em 2016, continuando para o lançamento de NGE pela Neflix e o lançamento de Rebuild pela Amazon. O interesse popular também permanece extremamente alto, como pode ser visto no documentário de making-off da NHK, EVANGELION: 3.333 Breakdown (sob a supervisão de Anno), o alto número de entrevistas e artigos feitos nos 6 meses entre o lançamento japonês e internacional, com mais a caminho. Ele também reiterou que os japoneses são seu público-alvo e reafirmou sua falta de interesse em colaborar com criadores ocidentais ou um remake live-action, ambos perpetuamente especulados no fandom ocidental:

“Apenas a animação japonesa realmente explora nosso mundo interior e emoções. O Japão é provavelmente o único país que faz animação tanto para adultos quanto para crianças.” […] São as diferenças na abordagem da animação entre o Japão e o Ocidente que fazem Anno relutante em colaborar em projetos internacionais. Nem ele está interessado em remakes live-action de seu trabalho. “A estrutura mental é muito diferente entre Hollywood e Japão”, diz ele. “Pode haver alguns cineastas japoneses que podem colaborar com criadores ocidentais, mas eu não sou um deles.” — ScreenDaily interview

Anno, no entanto, não é fã de filmes live-action derivados de seu anime. Ele descarta “Pacific Rim”, com suas disputas inspiradas em “Evangelion” entre alienígenas gigantes e robôs pilotados por humanos, como “não tão interessante”. Os planos de Hollywood para um remake live-action de “Evangelion” o deixam frio. “‘Evangelion’ foi concebido como uma animação”, diz ele. “Seria difícil expressar em live-action.”  – Hideaki Anno: Emotional Deconstructionist


Devido a alguns comentários ambíguos no documentário da NHK, alguns fãs especularam que Anno mudou de ideia em 2022. No entanto, na sessão de perguntas e respostas que Khara realizou para o primeiro aniversário do 3.0+1.0, Anno reafirmou sua intenção:

P: Você disse uma vez que espera que as gerações futuras possam continuar a franquia EVA como a franquia Gundam. Você mudou de idéia?
R: Não mudei de ideia. Será ótimo se meu trabalho puder ser de total ajuda para a indústria de anime.

[…] P: O Evangelion do Senhor Anno finalmente acabou?
R: Como já terminei 3 vezes, estou bem por enquanto, espero.

***