[EvAnalysis] O Shogi em Rebuild of Evangelion – Parte 2

Todo mundo sabe que no Sistema Magi (o original) a personalidade de Naoko Akagi é transcrita como cientista, como mãe e como mulher. A formidável tríade gere bem diante de ninharias como a administração de Nerv e da cidade de Neo Tokyo-3, mas para investigar o universo de Evangelion, apenas três personalidades não são suficientes. Dependendo da eventualidade, nós, pobres seres mortais, temos que improvisar pequenos químicos, astrônomos, teólogos, filósofos… ou, como neste caso, (não) especialistas de Shogi, o jogo de xadrez japonês que é o passatempo favorito de Soun Tendo e Genma Saotome Gendo e Fuyutsuki.

Levante a mão quem, diante da cena do jogo entre Shinji e Fuyutsuki em You Can (not) Redo, não se perguntou pelo menos uma vez “Ei, me pergunto se seus movimentos escondem algum significado obscuro!” Bom, eu tenho boas e más noticias. A boa é que sim, eles escondem tudo muito bem. O ruim é que não estamos simplesmente falando de “algum” significado obscuro. A Caixa de Pandora foi descoberta aqui. E está cheia até a borda com grandes mindfuckers assim.

Na primeira parte nos familiarizamos com o jogo e estabelecemos algumas correspondências. Chegou a hora de tentar entender o que Shinji e Fuyutsuki estão fazendo durante a famosa cena do jogo Shogi em You Can (not) Redo.  Já adiantando que não é um único jogo. Mas vamos em ordem, analisando um por um os movimentos dos jogadores.

Texto original (em italiano) publicado pelos
amigos italianos do Dummy System.

Antes de começar

  • Shinji mal conhece as regras . É claro desde o início que os dois adversários jogam de forma desigual. Se Fuyutsuki é um veterano, um estrategista consumado que conhece e domina perfeitamente cada peça em jogo, seu jovem e inexperiente adversário mal sabe por onde começar. De fato, sua presença à mesa é uma desculpa pura e simples para o vice-comandante (leia-se: Gendo) fazer seus movimentos, e não me refiro àqueles no tabuleiro. A inépcia de Shinji em relação ao jogo, então, é claramente representativa de sua condição em Q. Durante os catorze anos passados ​​dentro do Eva, o jogo seguiu em frente sem ele – e, no interior, muitos outros jogos menores foram iniciados e terminados. As peças foram movidas e remexidas confusamente a ponto de, tanto para Shinji quanto para o espectador, ser impossível reconstruir o caminho que as levou à sua posição atual.
  • Fuyutsuki é esperto. Como sempre, os japoneses sabem como ser um exemplo de graça e cortesia em todos os campos: no shogi é costume que o atual campeão ou de qualquer forma o jogador mais experiente conceda uma vantagem ao adversário, privando-se de algumas peças. O bom Fuyutsuki diz a Shinji que ele vai desistir de algumas das peças mais poderosas: a Torre, o Bispo e os dois Generais de Ouro. Ah, que homem de honra!
    Tenha cuidado, porque há uma maquiagem. O vice-comandante inflige uma desvantagem decididamente incomum. Convencionalmente, as peças eliminadas são os chamados “corredores”, isto é, podem mover-se saltando mais de uma casa de cada vez: a Torre, o Bispo e… a Lança.

Primeiro Jogo

Quando chegamos a Fuyutsuki e Shinji na mesa de shogi, os dois já começaram. Os peões nunca são mostrados, mas pelo que consegui decifrar, percebe-se que o jogo ainda está longe de ganhar vida… também porque, bem, Shinji é reconhecidamente um covarde.. Deste primeiro jogo, nos é mostrado um único movimento por Fuyutsuki:

  • Fuyutsuki move uma peça (talvez um peão?), Então decreta que Shinji vai perder em trinta e um turnos. Esta é uma premonição, mas também uma espécie de Easter Egg macabra para o uso do espectador doméstico, equipado com um player de vídeo para manter sob controle a minutagem (mesmo se nós trapaceássemos e nós já tivéssemos notado assistindo a camrip ). A cena da morte de Kaworu, na verdade, é colocada exatamente trinta e um minutos depois.
Fuyutsuki move um peão.
  • Fuyutsuki interrompe o jogo e um novo começa. Além disso, que sentido teria em continuar, já que o destino de Shinji já está marcado? A Nerv já organizou tudo de acordo com um design preciso; Shinji não tem como escapar.

Segundo Jogo

  • Na esperança de entreter o seu jovem adversário pelo menos um pouco mas depois infligir um dos piores traumas de sua vida Fuyutsuki inicia o novo jogo com uma espécie de rito preliminar tradicional: todas as peças são empilhadas no meio do tabuleiro, depois os jogadores “pescam” as peças uma por uma para construir seu próprio “exército”.
As peças empilhadas antes do novo jogo
  • Shinji pesca um peão, virado, do qual vemos a marca correspondente à promoção. Fuyutsuki pergunta se ele se lembra de algo sobre sua mãe e lhe dá uma foto que conhecemos muito bem.
Shinji pesca um peão (lado promovido)
  • Fuyutsuki pesca um cavalo promovido. Nesse meio tempo, ele diz a Shinji como Yui foi absorvido pelo Eva-01.
Fuyutsuki que pesca um cavalo (lado promovido)

A peça do Cavalo/Cavaleiro, como vimos, é associado a Shinji… mas neste ponto da história, de fato, nosso protagonista pode não ser mais um simples cavaleiro. Escalando os peões adversários, Shinji entrou no campo inimigo – lembra-se da “barreira” quebrada na recuperação de Rei de dentro de Zeruel? – e talvez tenha sido promovido em não menos que um deus (existe teoria que diz que após os acontecimentos de 2.22 Shinji adquiriu um aspecto divino, trago a teoria futuramente – Nota EVABR).
Mas por que Fuyutsuki pesca o Cavalo para si mesmo e o coloca em seu próprio exército? Simples: porque o choque que vai infligir a Shinji faz parte do plano. Ao privá-lo de suas últimas certezas e lançá-lo ao mais completo desespero, a Nerv assegura a colaboração do menino ignorante, que agirá exatamente como esperado.

  • Shinji pesca um peão e todas as peças caem .
Shinji que pesca um peão (lado simples)

A pobre criatura acaba de aprender a verdade não apenas sobre o desaparecimento de sua mãe, mas também sobre a natureza de Rei, e para piorar ele se vê cara a cara com uma miríade de cabeças decepadas com sua aparência, aparecendo graças a de repente restauração (e suspeita) da fonte de energia. Não admira que a pilha de peças desmorone completamente: todas as certezas de Shinji entraram em colapso, sua mente está o caos. Na cena seguinte, apenas para reiterar o conceito, o mesmo destino vai tocar a pilha de livros que Shinji acumulou na frente da sala do Tipo Ayanami.

A pilha de peças desmorona

Também deve ser notado que, se Shinji pescou pela primeira vez um peão promovido, este segundo peão nos mostra a fachada simples. Entre um peão promovido e um peão simples, há uma boa diferença na classificação, se você acha o peão o mais fraco do tabuleiro, uma vez promovido, adquire até mesmo as jogadas de um General de Ouro. Este rebaixamento poderia pressagiar o destino de Kaworu (“Eu nunca imaginei que eu, o primeiro anjo, eu teria sido rebaixado para o décimo terceiro”), mas também representam sentimentos de Shinji em relação ao Tipo Ayanami: se antes ele considerou-a única e insubstituível, agora ele percebeu que não se trata da “sua” Rei, a que ele salvou, mas simplesmente um clone entre muitas. A partir deste momento, a atitude de Shinji para com ela mudará radicalmente, tornando-se hostil e desconfiada.

  • Fuyutsuki pesca o rei, naturalmente, enquanto fala sobre Gendo, comandante da Nerv e Rei dos Lilin. Então ele continua a pescar as últimas peças perdidas, até completar sua metade do tabuleiro.
Fuyutsuki pesca seu rei
A formação de Fuyutsuki está completa
  • Shinji abandona o jogo e despede-se do vice-comandante com uma reverência, agora aniquilada tanto no jogo como psicologicamente. Uma derrota completa que, muito em breve, tomará forma nos terríveis acontecimentos que aguardam o errante cavaleiro do Dogma Central.
    A última tacada do tabuleiro nos mostra o exército de Fuyutsuki, completo, perfeitamente desdobrado e pronto para atacar, ao lado dos peões abandonados de Shinji.

Os três estágios de um jogo

Aquilo que testemunhamos no decorrer dessa cena, são esboços incompletos, truncados em uma fase ainda embrionária.
Um jogo de shogi apropriado é geralmente gasto por pelo menos meia hora, e tradicionalmente consiste em três fases ( Jo-ha-kyu , opa…percebeu?):

  • A primeira fase é a fase preliminar, durante a qual cada jogador coloca suas peças no tabuleiro (há várias cerimônias precisas) e inicia seu avanço em direção ao campo inimigo, enquanto organiza sua própria linha defensiva.
  • Na segunda fase você entra no jogo real. Os jogadores começam a lançar seus ataques contra os adversários, tentando proteger seu lado do tabuleiro.
  • A terceira e última fase começa quando a linha defensiva de um dos jogadores é comprometida.

Não há dúvida de que You Can (Not) Redo é um filme claramente distinto em três partes (onde “claramente distinto” significa “praticamente cortado com o machado”), e estas parecem refletir a tendência de um jogo de shogi.

Nós temos uma primeira fase de estabilização, seguida pelo completo colapso das defesas de Shinji graças ao combo fatal “Você destruiu o mundo” + “A propósito, Rei é um clone de sua mãe e tudo que você acha que sabe é mentira” e finalmente, a derrota do protagonista, com a morte de Kaworu e a vitória de Gendo sobre a Seele.

O Rei dos Lilin sai deste confronto triunfante, mas o jogo está longe de ser concluído. As questões ainda em aberto nunca foram tantas: quais são as forças em jogo? Se Gendo joga para toda a humanidade, quem senta do outro lado do tabuleiro de xadrez? E Mari, que parece conhecer a dinâmica do confronto a ponto de poder prever os movimentos futuros dos jogadores, de que lado está?

Vamos apenas dizer Final , mas enquanto isso, deixe-me arriscar uma previsão. Talvez Mari já nos tenha revelado o movimento decisivo que dará uma virada ao jogo: depois das três, volte mais duas…

***

Fonte: Dummy System

Posts Relacionados