As Visões de Yamashita – FINAL

Aqui estamos finalmente no final desta tortura aventura, a visão de Yamashita, chamada “Sore o Nasumono”. Foi uma jornada exaustiva traduzir este material, literalmente me desgastou, mas graças a este trabalho percebi como os Rebuilds foram fortemente influenciados pelo trabalho de Yamashita. Por que você vai entender isso em breve. Muito em breve.

Saímos da segunda parte com a presença furtiva de Asuka fora da nova estrutura da Nerv, dedicada à proteção da equipe e de civis ainda não afetados pela praga que atingiu a humanidade.

Este post original feito pelos amigos italianos da
Associazione Culturale Evangelion Italian Fan
traduzido e
pelo EvangelionBR.


Sozinha, fora da estrutura do Nerv e vestindo o equipamento Heavy Disorder, ela podia sentir-se livre do rótulo de traidora. O equipamento permitiu que ela vagasse livre nas ruínas da cidade, sem correr o risco de contrair a praga.

Ela estava sozinha, tentando examinar as imensas chamas que pairavam em direção ao céu, quando projetavam a sombra de uma pessoa com intenção de deixar um dos portões subterrâneos.

O indivíduo se comportou como um fugitivo, mas o que surpreendeu ainda mais Asuka, é que este não usava nenhum tipo de equipamento de interferência.

Esta pessoa não era outra senão Shinji, completamente inconsciente de que Asuka estava lá para vê-lo. Ele caminhou em direção a uma ponte iluminada apenas pelo fogo que se elevava das cinzas da cidade. Ele prosseguiu rapidamente, e então começou uma corrida rápida. Inesperado, considerando que era Shinji.

O que aconteceu logo depois surpreendeu Asuka.

Shinji, correndo como ninguém tinha visto antes, deu um salto que o levou ao outro lado da parede de chama, desaparecendo de seu campo de visão.

Asuka tentou segui-lo, preocupada e assustada pelo comportamento. Shinji entrou na cidade invadida por lobisomens, completamente desarmados e indefesos, durante a fase da Lua cheia.

Asuka tentou detectar Shinji, sem sorte, mas um filhote de lobo apareceu perto dela e decidiu segui-lo. O cachorrinho, arrastando suas roupas humanas com ele, levou-a ao menino.

O que ela viu, deixou-a sem fôlego.

Em cima de um edifício colapsado, Shinji ficou em cima dele, cercado por lobisomens que o acompanharam em um uivo dirigido para a escuridão da noite. Em vez de se sentir assustada, Asuka sentiu-se surpreendia por uma cena tão estranha como bonita, observando os lobisomens correndo em direção às crianças de forma brincalhona e feliz.

De repente, Shinji deu um olhar reconfortante enquanto as lágrimas escorreram do seu rosto. Essa expressão silenciosa impressa no visto do menino, parecia vir de uma pessoa diferente… o vínculo profundo que os unia, agora estava perdido…

Enquanto isso…

Dentro da estrutura da Nerv, no elevador que leva ao Reflector Hole (hangar contendo o 01) com a equipe de engenheiros, Ritsuko amaldiçoou ferozmente a equipe de manutenção da Eva.

– Aguardem! O 01 ainda está na segunda fase de resfriamento, é perigoso!

Assim que o portão do elevador se abriu, Ritsuko virou seu olhar para 01.

– Shinji! Está dentro do 01?!

Todos ficaram em silêncio e se viraram para o 01. Como movido por um movimento sincronizado, lobisomens fora da estrutura viraram para a lua.

Nenhum sinal da Unidade.

Ainda presos no edifício arruinado, os lobisomens não fizeram nada além de olhar para o satélite branco e silencioso que irradiava a terra com sua luz pálida. Shinji, no centro deste. Asuka decidiu, relutantemente, fugir desse lugar. Shinji percebeu que seu orgulho não permitia que ela ficasse e assistisse a outra coisa.

Seu rosto assumiu uma expressão de sentimentos conflitantes. Como se a abraçasse, esticou o braço no ar e a abraçou, embora em vão.
Asuka desapareceu, como se tudo fosse um sonho.


Não posso fazê-lo, senhorita Ritsuko! Shinji gritou e continuou:

Não é sobre a lavagem cerebral?

Shinji estava na sala médica designada para os pilotos Eva, relutante em realizar os testes clínicos e cercado não só pela equipe médica, mas também pela segurança da NERV.

Se minhas últimas memórias foram apagadas, eu poderia enlouquecer! Ele exclamou.

Shinji! – Ritsuko gritou firmemente.

Shinji ficou em silêncio, mas certamente não para a firme reprovação de Ritsuko. Os membros da segurança apontaram as armas, dirigindo-as para o menino.

Ele não tinha outra escolha.


Shinji correu pelo corredor para alcançar Rei.

Ah, Ayanami…!

Quando ela olhou para o menino, Rei sentiu-se abalada por um tremor de desgosto, de repúdio. Ela sacudiu a mão de Shinji deu de ombros e se afastou, sem dizer nada.

Algo está mudando…  – pensou Shinji, para si mesmo .


Foi um dia particularmente nublado.
Misato foi chefe do Departamento de Pesquisa de Áreas Externas, em uma operação que viu os Eva 00 e 01 como uma unidade de cobertura. Os membros da equipe de investigação estavam levando amostras de sangue dos braços de vários lobisomens.

Este distrito não é bom. –  Afirmou um deles.

Como as pessoas se tornaram assim, começaram a se alimentar de tudo o que tem nas mãos. Este ambiente os expôs à radiação de resíduos tóxicos– Disse um membro da equipe.

Resíduos que se instalam e se espalham por toda parte. Shinji, Rei, limpem toda a área até a margem do rio. Diz Misato.

Entendido. Responde Rei.

Espere Misato! Estes não são inimigos, são pessoas! Shinji gritou.

Sei Shinji… Desculpe. No entanto, você deve entender que devemos manter essa situação sob controle. Se não o fizermos, existe a possibilidade de outras pessoas estarem contaminadas e de que outras perderão a vida.

Mas…

Eu sei… Eu sei… Provavelmente vou para o inferno por desempenhar o papel de Deus em tudo isso. Nossa tarefa, no entanto, é proteger as pessoas… a qualquer custo. Odeio admitir isso… mas, se não o fizéssemos, apenas os condenaríamos à sua condição… e à morte.

As mãos trêmulas de Shinji não podiam deixar de posicionar-se no controle.

Os lobisomens olharam para o Eva, que segurava o lança-chamas sobre eles.

Eva 01 varreu tudo, como um Deus fatal e zangado.

O que estamos protegendo? – Shinji imaginou, enquanto os lobisomens tentavam escapar das chamas.

Enquanto as chamas se abriam, Shinji viu algo no meio.

O filhote lobo que o seguiu algumas noites antes, ainda estava vestido com suas próprias roupas humanas.

O cachorrinho desapareceu nas chamas, sem sequer perceber o que estava acontecendo.


Na cidade experimental da Nerv, Salão Central do Comando de Operações.

Um monitor mostrou um modelo virtual da radiação que estava contaminando o planeta.

Se não é a própria Lua que emite as ondas oscilantes, é talvez a sua superfície que os reflete na terra? Perguntou Gendo.

Absolutamente. – Disse Ibuki. Sendo estas ondas emitidas sob a forma de raios, calcular a origem é difícil. Até agora, foi impossível para nós entendê-lo por causa da órbita lunar e do ângulo de incidência do raio. Felizmente, no entanto, conseguimos encolher o campo e localizar aproximadamente a fonte das ondas.

Então, não há mais nada o que fazer se não alcançá-lo. Certo? Gendo concluiu.


***

Pessoal… está pronto.

Não posso acreditar que tudo isso finalmente chegou ao fim.

Antes de celebrar, no entanto, devemos passar à análise deste último e árduo capítulo.

Deve-se dizer que, concretamente, há muito menos material a ser analisado em comparação com os capítulos anteriores, mas muito mais WTF do que os anteriores.

Começamos a partir da posição de Asuka, a da traidora: para aqueles que leram o primeiro capítulo (se não leu, corra para fazer), refere-se à guerra entre a Nerv Alemã e a Japonesa, que vê Asuka em uma posição incômoda para ambos os lados. Por um lado, ela não quer lutar contra a Nerv japonesa porque ela tem ligações indissolúveis aqui, enquanto aos olhos da Nerv Japonesa parece ser uma traidora porque ela é um piloto da Unidade 02, bem como uma piloto alemã. E então outros motivos que apenas Yamashita conhece.

Em seguida, seguimos para Shinji. Quando eu li e traduzi a passagem em que Shinji é descrito como uma espécie de… ah, “Líder da Matilha” (?) Inicialmente senti um tremor na minha espinha, mas então senti algo como um déjà-vu, apoiado pela leitura do último parágrafo .

Como agora estamos acostumados a fazer com Evangelion, coloquei as peças juntas.

Embora em contextos completamente diferentes, as ideias contidas em “Sore o Nasumono” são exumadas, retrabalhadas e usadas em Rebuild of Evangelion.

Na verdade, duas facções em conflito no mundo: em “Sore o Nasumono” temos a Nerv Euro-germânica e a Nerv Japonesa competindo pelo poder, em Rebuild 3.0, temos em vez disso o confronto entre Nerv e Wille.

Os traidores: em “Sore o Nasumono”, Asuka desempenha o papel de traidora em ambas as facções, em Rebuild, em vez disso (como bem se lembra), Shinji, cujo lugar não pertence a nenhum desses. Por que eu digo que não pertence a nenhum dos dois? Simplesmente porque ele não se importa com o objetivo que esses dois perseguem, mas apenas a possibilidade de restabelecer o ordem do mundo. Da mesma forma que Asuka nesta breve história de Yamashita, na qual ela não é um verdadeira traidora, mas sim vítima de eventos, exatamente como Shinji em 3.0.

A perda da humanidade de alguém: em suma, eu diria que era bem evidente. Nesta história, Shinji se torna uma espécie de líder dos lobisomens. Obviamente, não podemos saber por que ou porque, mas é importante suas consequências! Shinji não abandona sua humanidade, mas sua identidade como pessoa. Agora, eu não sei se era a intenção de Yamashita ou não, mas a partir do momento em que a cena de Shinji é apresentada na companhia de lobisomens, percebi a vontade de comunicar algo que vai muito além da profundidade (pobre) do texto.

Para comunicar que o que nos identifica como pessoas não são os seres-humanos, mas como nos relacionamos, nossas experiências de vida e as decisões que temos de fazer.

Isso, de fato, nos traz de volta ao Rebuild por um simples motivo: Shinji não é mais um ser humano, porque na companhia de lobisomens, uivando com eles. No entanto, ele é um ser humano, porque ele é uma pessoa, como todos nós. Em Rebuild 2.0 e posterior em 3.0, a mesma coisa acontece: Shinji entra, juntamente com 01, em um estado de Divinização. A contaminação da unidade o leva a transcender sua humanidade e isso, em 3.0, transforma-a em uma bomba se colocada nos controles do 01.

É interessante notar como, tanto em “Sore o Nasumono” e em Rebuild, após sua própria contaminação, Shinji é tratado como um traidor por todos.

Em última análise, as viagens espaciais. Embora Neon Genesis Evangelion seja uma das séries de ficção científica que destaca fenômenos e clichês científicos, nunca tratou, mesmo nos storyboards originais, as viagens espaciais. Mesmo que, em “Sore o Nasumono”, nenhuma alusão seja feita para eles, nas últimas palavras de Gendo a necessidade de cumprir esta missão é destacada.

Por que essa alusão me atingiu tanto? Simples, porque falamos sobre a Lua. E, é claro, acho que você já entenderá o que eu estou me referindo: a Tabgha Base na Lua, em Rebuild of Evangelion.

Em suma, como dito no início desta análise, quero esclarecer novamente que são paralelismos que fiz sem me preocupar com a confusão que Yamashita criou.

No entanto, alguns desses elementos que eu juntei, continuam a recordar cenas e/ou situações recorrentes em filmes da Khara.

Além disso, Evangelion: ANIMA herdou as ideias reunidas em “Sore o Nasumono”: as unidades Eva são apresentadas cujo design é livremente baseado no aparecimento de lobos e a questão relativa à Sincronização Super Profunda é apresentada novamente.

Espero que tenha gostado  da leitura confusa de “Sore o Nasumono”, agradeço novamente a Carl que, do Canadá, traduziu do japonês para Inglês, ajudando-me neste (longo) trabalho.

***

Agora eu, Leonel, agradeço pelo enorme trabalho que o pessoal do Eva Italian Fan teve em escrever sobre essa obra WTF interessante, o que nos deixa cada mais ansiosos por uma versão em inglês (pelo menos) de Evangelion: ANIMA.

Anúncios